Projeto do Ano

Escrevendo sobre o desafio de emagrecer com saúde, mas sem largar a ceva é claro :)

8/9/09

contos infantis

Em 2001 escrevi um trabalho para a única disciplina de humanas (Sociologia) da faculdade de Ciência da Computação. Gosto muito do texto e da pesquisa que fiz na época. Vou postar aos poucos aki alguns trechos…

As estórias infantis representam uma forma de tocar o inconsciente e ensinar a criança formas de elaborar e resolver sentimentos de ódio, raiva, angústia, medo, terror com possibilidade de solução ao final. É uma forma lúdica de lidar com as dificuldades da vida, e onde o bem sempre vence o mal, mostrando a criança que agindo de forma moral sempre obterá sucesso.
Em todas as estórias os personagens femininos tem habilidades domésticas, são belas e quando em perigo não conseguem a salvação sozinhas, sempre são salvas por um homem viril. O que ocorre principalmente em Cinderela, Branca de Neve e Bela Adormecida.
A mulher é sempre passiva, e só sua beleza é suficiente para atrair o príncipe, a exceção a essa regra é a estória da Cinderela pois ela é a única que seduz o príncipe.
Na televisão brasileira, a Emília de Monteiro Lobato é uma personagem inteligente e esperta, mas na realidade é uma boneca e não uma menina de verdade. Já Narizinho segue mais o estereótipo feminino imposto pelas estórias.
Em Branca de Neve, ela é adorada pelos anões por suas habilidades domésticas e sua curiosidade é punida. Foi avisada para não conversar com estranhos, mas mesmo assim o faz ao aceitar a maçã envenenada da bruxa.
A curiosidade estimula a inteligência, mas no caso das meninas esta as leva a cometer erros, portanto devendo evitá-la. Quando a curiosidade é cerceada limita a criatividade e a aprendizagem, mantendo as mulheres no mesmo patamar.
A seguir analisaremos com maior detalhamento a estória de João e Maria.

João e Maria

A estória inicia com o pai e a madrasta de João e Maria discutindo como cuidar deles frente as dificuldades financeiras e pensam em abandoná-los na floresta. Mostra a dura realidade da pobreza, da fome e do egoísmo humano, quando os pais passam a não aceitar de bom grado as solicitações orais dos filhos.
Maria questiona seu irmão de que forma resolverão tal problema, o que ocorre durante toda a narração pois as dúvidas partem dela e as iniciativas e idéias dele. João encontra como alternativa marcar o caminho até a floresta com pedras, o que possibilita o retorno de ambos ao lar.
A idéia de abandonar as crianças parte da madrasta, que é uma mulher astuta porém ruim. Da mesma forma que a bruxa, que além de inteligente é feia. Por outro lado, Mariazinha é passiva e meiga em toda a narrativa. Com medo ela chora na floresta e é confortada por seu irmão corajoso.
Na segunda tentativa de abandoná-los na floresta, João marca o caminho com migalhas de pão que são comidas pelos pássaros e que impossibilita o reconhecimento do caminho, e por conseqüência o retorno ao lar. A mensagem passada por esse trecho da estória demonstra as conseqüências de tentar resolver os problemas por fuga e regressão, e de enfrentá-los de forma impensada, sem calma e planejamento.
Seguindo pássaros brancos pela floresta encontraram uma casa feita de doces, assim João orienta Maria o que devem comer primeiro visto que a fome é grande, momento em que são seduzidos e capturados pela bruxa. Também mostra às crianças como fora do aconchego do lar existem prazeres e tentações, mas esses são muito perigosos nunca devemos ceder aos nossos impulsos.
A bruxa malvada os engana, tratando bem a princípio para seduzí-los e capturá-los, e depois de forma ríspida ao tentar comer João. É como a mamãe que ora diz sim e ora diz não ao filho.
A bruxa aprisiona João para engordá-lo e Maria serve de escrava fazendo tarefas domésticas. Isso nos mostra como o homem é superior à mulher pois ele foi escolhido para ser devorado, sua carne é mais apetitosa e nobre, e ela teve utilidade apenas para as tarefas do lar.
Mesmo preso João tem a brilhante idéia de mostrar ossos de galinha à bruxa toda vez que verifica seu processo de engorda, tendo problemas de visão a megera se deixa enganar. Ao ser ordenada que prepare o fogão para cozinhar o irmão, Maria chora mas teve a idéia de empurrar a bruxa para dentro do fogão onde é queimada. Com estes elementos podemos interpretar que queimar a bruxa no fogo encoraja as crianças a enfrentar as dificuldades pois todas tem solução, por mais difíceis que sejam. Ao trabalharem em conjunto João e Maria obtêm sucesso, mostrando a importância da cooperação. Contudo a iniciativa de Maria só surgiu quando seu irmão estava preso e impossibilitado de agir. Sendo canibal a bruxa deve ser punida pelo mal que tentou, pois os adultos tem a capacidade de autocontrole e quando não o utilizam devem ser castigados severamente.
Os pássaros brancos surgem em três momentos da estória, quando comem as migalhas de pão impedindo o retorno e fazendo com que João e Maria se percam na floresta, quando os guiam até a casa da bruxa e novamente para o caminho de retorno ao lar. A pomba branca da paz é um símbolo bíblico, que sugere que ela providenciou a aventura e o amadurecimento.
Ao retornar ao lar trazem as jóias da bruxa que resolvem os problemas financeiros da família, e viveram felizes para sempre. As jóias são, metaforicamente, a maturidade que adquiriram e que os fizeram perceber que o seu lar é um lugar maravilhoso e não ruim como julgavam antes. A bruxa os ensinou a não ceder ao pecado da gula, com maior temperança podem participar da vida familiar de forma mais ativa.

criado por rsvidal    20:15 — Arquivado em: Sem categoria

1 Comentário »

  1. Comentário por thatyr — 9 de setembro de 2009 @ 9:17

    Bem legal, Renata… é bastante desconcertante prestar atenção nessas histórias realmente,e ver o quanto são carregadas de sentimentos e situações, que muito dificilmente mostraríamos a crianças tão pequenas.
    Isso me faz pensar, antes de mais nada, que subestimamos as crianças normalmente - ainda pensando que não conseguem lidar com as
    mais variadas situações que se apresentam. E com isso, as limitamos.
    Quando, pelo contrário, elas têm condições de arcar com as consequencias pelos seus atos - e é salutar que entendam que toda a ação tem uma reação, que devem estar dispostos a arcar, e que será boa ou ruim,
    dependendo das decisões tomadas antes.
    Difícil educar os filhos - difícil lidar com gente. O ser humano é um universo - e mesmo sabendo disso, não temos ainda habilidade para lidar bem com a nossa própria raça.

    That´s it!!

    Thaty

Deixe um comentário

Report abuse Close
Am I a spambot? yes definately
http://rsvidal.blog.terra.com.br
 
 
 
Thank you Close

Sua denúncia foi enviada.

Em breve estaremos processando seu chamado para tomar as providências necessárias. Esperamos que continue aproveitando o servio e siga participando do Terra Blog.